Terrorismo: ISIS e os atentados de Paris – Impressões de uma estudante israelense.

Escrito por Yamit Cohen, Israelense-Brasileira, estudante de Relações Internacionais na Tel Aviv-Yaffo Academic College

14 de Novembro 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O ataque terrorista do ISIS (Estado Islâmico) em Paris tem a ver diretamente com o que está acontecendo na Síria e no Iraque. Esse não foi um erro do serviço de informação que não soube prever os atentados, e sim de um ponto de vista equivocado do mundo Ocidental que deve urgentemente lutar contra o Islamismo Radical seja terrestre, marítimo ou aéreo.

 

Chegou a hora de reconhecer o fato de que estamos a um passo da terceira guerra mundial. Uma guerra que será diferente das anteriores, mas que se expandirá no planeta todo. Será uma guerra entre o ISLAMISMO JIHADISTA e as CIVILIZAÇÕES OCIDENTAIS. Uma guerra entre o Islamismo Radical, contra todos aqueles que não estão dispostos a se submeterem à ele.

Os tanques americanos, franceses e britânicos vão fazer parte dessa guerra agindo na Síria, no Iraque, nas fronteiras em parceria com as agencias de inteligência. A guerra realizará também através de aviões de guerra que vão bombardear os lugares estratégicos e onde se concentram grupos do ISIS e Al Qaeda na Ásia e na África.

 

Assim que ficamos sabendo dos atentados em Paris, tudo nos indicou que o responsável seria ISIS. O que eles fizeram, faz parte da estratégia típica do grupo, executando golpes de terrorismo nos lugares onde eles tem a liberdade para agir, com mínimo esforço e que cause um grande eco no mundo – O lugar perfeito com certeza seria Paris.

 

Os ataques não começaram apenas em Paris e sim na explosão do avião russo no Sinai, Egito há três semanas atrás. É bem provável que os atentados em Paris foram organizados há muitos meses atrás, mas as origens são as mesmas das do ataque no avião, a mesma estratégia.

 

Os ataques  na Síria e no Iraque estão afetando bastante o ISIS que vem perdendo alguns de seus mais importantes pilares do Khalifa Islâmico que eles querem construir. Por isso o ISIS está atacando seus inimigos, e como sempre a Europa é a primeira a ser atingida. Europa porque lá estão as origens do Cristianismo, e os grupos fundamentalistas Islâmicos ainda a veem como o lugar dos descendentes cristãos que lutam tanto na parte cultural quanto na religiosa contra o Islamismo Radical. 

 

Pelo ponto de vista do Islamismo Radical a França é o símbolo de tudo que eles temem como: Direitos humanos, liberdade, proibição do uso de hijab (burca) em lugares públicos, a permissão do tribunal de justiça ao jornal "Charlie Hebdo" publicar caricatura do profeta Muhamad,  e o ultimo que ocorreu foi no jantar  feito para o Presidente Islâmico do Iran Ruhani, onde foi recusado pelo presidente Frances Holande seu pedido de não servir bebida alcoólica (que é proibida no Corão). Tudo isso é uma forma da França desafiar os Jihadistas, algo que nenhum outro pais fez até hoje.

 

Além disso na França existe uma população muito grande de Islâmicos com cidadania francesa. Neste atentado os terroristas falavam perfeitamente francês, e isso facilitou a integração deles na sociedade francesa sendo mais difícil impedir o atentado, e mais fácil a fuga. Ainda não foi esclarecido completamente se todos os terroristas eram suicidas ou se uma parte deles conseguiu fugir, e por essa razão a França fechou suas fronteiras e convocou o exército às ruas. Isso foi exatamente o que Israel fez na ultima onda de terrorismo que ainda esta no auge. O objetivo é que a presença de seguranças, policiais e exército poderão impedir um outro ataque.

 

Não podemos esquecer que a França esta localizada no coração da Europa Ocidental e ao seu redor países com grande concentração de muçulmanos. A Liberdade de trânsito entre os países da Europa permite o apoio de todos os muçulmanos espalhados na Europa e assim facilita o planejamento de ataques terroristas em várias regiões.

 

Temos que estar preparados para mais ataques terroristas que podem ocorrer não só na França e sim em toda a Europa e nas principais cidades do mundo. Para evitar isso ou para que a Europa esteja  mais o preparada possível ela terá que aumentar a segurança nas fronteiras e encarar com firmeza a contradição entre os direitos humanos  e o dever de dar segurança aos civis. Até hoje a União Europeia optou pela liberdade individual, mas depois dos últimos acontecimentos deverão concluir que, além da liberdade, o mais importante é o DIREITO À VIDA.

 

Não há um erro pontual do serviço de informação e sim um erro na forma de pensar, que deve ser mudada. O Ocidente terá que estabelecer um mecanismo de informação compartilhado e agir de acordo com as mensagens de alerta. Isso não servirá somente para a França e sim para toda a Europa, Rússia, China etc. A forma que Israel age, integrando o serviço de informação e as unidades especiais do exercito devem servir de  modelo para o mundo, para que possam impedir, o mais rápido possível, os ataques sendo planejados. O Ocidente também terá que legislar leis que permitirão esse mecanismo agir rapidamente antes dos atentados serem executados.

 

Estamos todos no mesmo barco e temos que lutar juntos contra o Islamismo Radical. A guerra mundial entre o Islamismo Fundamentalista Homicida e a Civilização Ocidental tem que ser dirigida sem hesitações. E não, essa onda de terrorismo MUNDIAL não tem a ver com a "ocupação na Palestina".

 

 

 

Telefone

+972 3 629-6048

Endereço:

29 Hamered Street, 4 floor

Tel Aviv - Israel 

P.O.B 20425

E-mail 

contact@israel-brazil.org